A reputação de uma empresa é um dos pilares de sustentação do negócio e figura entre os principais fatores de garantia de fidelidade dos clientes. Por isso, uma enorme preocupação dos atuais gestores corporativos é a de proteger esse alicerce, em tempos de conteúdos digitais que misturam verdades e fake news, boatos e fatos, opiniões e dados, informações de qualidade e dados ruins. Tudo se disseminando em alta velocidade pelas redes sociais e canais de informação. Alguns estudos mostram até que as notícias falsas se espalham mais rápido do que as verídicas.

No âmbito corporativo, informações de má qualidade podem ter consequências desastrosas. De acordo com a Pesquisa Global de Qualidade de Dados 2019, realizada pela Experian, 95% das empresas admitem que a má qualidade das informações prejudica a interação com o consumidor, a imagem da marca e a eficiência das operações. O levantamento mostrou ainda que 69% reconhecem que dados imprecisos afetam a capacidade de fornecer uma experiência melhor ao cliente. E uma em cada três companhias (33%) considera a confiança como o maior desafio para conseguir extrair valor dos dados gerenciados.

Embora existam diferentes métodos estatísticos e matemáticos que permitem avaliar a qualidade das informações que estamos recebendo ou fornecendo, a principal recomendação, no cenário de Big Data, é conhecer a procedência dos dados. No caso de notícias, por exemplo, faz sentido que um conteúdo de um veículo de mídia profissional seja mais confiável do que uma mensagem circulada em um grupo de WhatsApp. Mas nem sempre o quadro é tão óbvio.

As grandes questões que se colocam, portanto, são: como checar a idoneidade da fonte? Como verificar a credibilidade da informação quando milhões de fontes surgem e desaparecem em um clique. Só para se ter uma ideia, o Facebook informou ter eliminado 5,4 bilhões de contas falsas em 2019 – mais do que o dobro dos 2,1 bilhões de contas eliminadas no ano anterior.

Algumas dicas de especialistas ajudam a prevenir armadilhas, na hora de captar informações da internet:

> Navegar pelo menu dos sites para verificar quem está por trás dos conteúdos, quais as credenciais do autor ou da instituição;

> Checar a data do conteúdo, se é recente ou se foi atualizada recentemente;

> Checar se estão citadas as fontes de onde foram extraídas as informações disponibilizadas e pesquisar essas fontes;

> Checar os links disponibilizados, se funcionam e se apontam para páginas confiáveis;

> Observar a relação entre o conteúdo informativo e o conteúdo publicitário, se não há ingerência dos anúncios no editorial;

> Conferir se há alguma forma de contato para o leitor complementar a informação fornecida ou tirar dúvidas;

> Confrontar os resultados obtidos de várias fontes para comparar os dados.

Ainda que pareça trabalhoso, esse check list tem valor inestimável. É preciso todo o cuidado ao tomar decisões com base em dados, certificando-se de que tenham consistência e sejam fidedignos. No fundo, trata-se de evitar que a boa reputação de sua empresa seja abalada pela má reputação de uma fonte de dados fraudulenta.

BigData Corp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *